Carta Aberta ao MMA

À Exma. Ministra do Meio Ambiente, SRA. IZABELLA TEIXEIRA

C/c: Diretor do DEA/MMA, Sr. NILO SERGIO DE MELO DINIZ

C/c: Comitê Assessor do Órgão Gestor da PNEA

C/c: Presidente do IBAMA,  Sr. CURT  TRENNEPOHL

Considerando que a Constituição Federal de 1988 no artigo 225, adota a cidadania como princípio, objetivando tornar efetivo o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, responsabilizando o poder público por sete incumbências (e somente ele) mesmo impondo a este e à coletividade a obrigação por sua defesa e preservação, estabelece as seguintes incumbências:

a) Quatro (I, II, III e VII) direcionam a ação do Poder Público para defesa e proteção de processos ecológicos essenciais, ecossistemas, patrimônio genético, flora e fauna utilizando diferentes estratégias (preservar, restaurar, manejar, fiscalizar, criar áreas protegidas);

b) Duas (IV e V) para a prevenção de danos e avaliação de riscos ambientais, decorrentes da realização de obras e atividades potencialmente degradadoras, e da produção e circulação de substâncias perigosas; e

c) Uma (VI) para criação de condições para a coletividade cumprir o seu dever de defender e proteger “o meio ambiente ecologicamente equilibrado para as presentes e futuras gerações”, por meio da promoção da educação ambiental.

Considerando que a atuação do poder público deverá ocorrer em todos os níveis de ensino e conscientização pública para a preservação e conservação do meio ambiente;

Considerando que a Lei 9795, de 27 de abril de 1999 institui a Política Nacional de Educação Ambiental, e determina como parte do processo educativo mais amplo, que todos têm direito à educação ambiental, incumbindo aos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Meio Ambiente – SISNAMA, promover ações de Educação Ambiental integradas aos programas de conservação, recuperação e melhoria do meio ambiente;

Considerando que o Decreto 4.281 de 25 de junho de 2002 regulamenta a Política Nacional de Educação Ambiental e estabelece que sua execução deverá ser feita pelos órgãos e entidades integrantes do SISNAMA com a criação, manutenção e implementação de programas de educação ambiental atreladas às atividades de conservação da biodiversidade, de zoneamento ambiental, de licenciamento e revisão de atividades efetivas ou potencialmente poluidoras, de gerenciamento de resíduos, de gerenciamento costeiro, de gestão de recursos hídricos, de ordenamento de recursos pesqueiros, de manejo sustentável de recursos ambientais, de ecoturismo e melhoria de qualidade ambiental;

Considerando a Portaria do Ibama nº 77- N de 2002 que cria e estabelece as atribuições dos Núcleos de Educação Ambiental nas superintendências ligados ao gabinete;

Considerando que o Decreto nº 6.099, de 26 de abril de 2007 aprovou a Estrutura Regimental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA que dispõe sobre o cumprimento de suas finalidades, dentre elas a execução de programas de Educação Ambiental, de acordo com as diretrizes fixadas pelo Ministério do Meio Ambiente;

Considerando que um dos 13 compromissos do programa de governo da presidente Dilma para o Brasil seguir construindo o desenvolvimento sustentável é “Ampliar e fortalecer a Educação Ambiental”;

Considerando os documentos Relatório final do I Encontro de Educadores Ambientais do IBAMA e ICMBio, Moção dos Educadores Ambientais do Ibama e ICMBio, elaborados em 2008, e a petição da Asibama Nacional, de julho de 2009, na qual a Associação Nacional de servidores da carreira ambiental manifesta sua preocupação para com o desmantelamento da educação ambiental nos órgãos do SISNAMA e no País, bem como requer que o Poder Público implemente coordenações gerais e regionais no IBAMA e Instituto Chico Mendes, todos já encaminhados ao MMA, IBAMA e ICMBio.

Nós, servidores públicos federais do IBAMA, educadores ambientais dos Núcleos de Educação Ambiental nas Superintendências do IBAMA, Gerências Regionais, e Escritórios Regionais dos estados: RS, SC, PR, SP, MG, ES, RJ, MT, MS, DF, GO, BA, CE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA, AC, TO, PA, AM, PA, RO, RR; e nas Coordenações Regionais do ICMBio, vimos por meio dessa, ressaltar a necessidade urgente da reinstitucionalização da Educação Ambiental no âmbito do IBAMA já que trabalhamos em parceria.

Destaca-se que desde 2007, quando o IBAMA foi dividido, a então Coordenação Geral de Educação Ambiental – CGEAM, foi extinta, que a as ações educativas desenvolvidas por este órgão ambiental federal (IBAMA), carecem de um locus institucional e de linhas orientadoras que permitam o cumprimento de nossa atribuição enquanto órgão executivo da Política Nacional de Educação Ambiental, Lei nº 9795/99.

A partir de um levantamento informal, ocorrido em fevereiro do presente ano, pelos próprios educadores ambientais do IBAMA que atuam nas diferentes superintendências, escritórios regionais e gerências, foi possível estabelecer um quadro geral da situação dos Núcleos de Educação Ambiental, NEAs. Este levantamento demonstra uma grande precariedade de infraestrutura, recursos materiais e humanos para que se possa desenvolver as ações educativas demandadas pela sociedade ao Ibama (tabela em anexo).

Infelizmente, não foi possível obter informações de todos os NEAs do país, o que, por si só, já é um indicador da precariedade da área de educação ambiental no IBAMA. A inexistência de uma Coordenação Geral, responsável por construir diretrizes internas, planejar, organizar sistemas de comunicação, monitoramento e avaliação das ações educativas na instituição, tem causado o desmantelamento dos NEAS. Como exemplo podemos citar o caso da Região Sul do país, onde apenas um NEA, o do RS, consta da estrutura do IBAMA, o qual, apesar de contar com poucos analistas, acabou por ceder uma educadora para o Núcleo de Licenciamento Ambiental (NLA) para suprir a demanda do licenciamento na área socioambiental. O mesmo ocorreu no NEA da Bahia, que foi fechado porque a sua única servidora também foi deslocada para dar apoio ao NLA

Apesar desse quadro insatisfatório, na região sudeste, os NEAs dos quatro estados estão em atividade com sua estrutura mantida. Na região nordeste, são oito NEAs ativos e na região norte, sete. Ressaltamos que seis NEAs no Brasil, atuam em ações educativas em apoio ao Licenciamento Ambiental, realizando análise, acompanhamento e monitoramento dos Projetos e Programas de Educação Ambiental no âmbito das medidas mitigadoras e compensatórias, condicionantes das licenças ambientais federais.

Ressalta-se ainda que o Ibama empenhou recursos financeiros e humanos na capacitação de mais de mil educadores desde 1997 incluindo os analistas novos, outras instituições públicas e ONGs, na linha de ação Educação no Processo de Gestão Ambiental, prevista no Programa Nacional de Educação Ambiental (Pronea), cujas diretrizes de operacionalização foram elaboradas pelo Ibama em 1996.

A instituição dispõe, ainda que em um quantitativo muito aquém do necessário, de corpo técnico devidamente qualificado para dar suporte às atividades finalísticas do órgão previstas na lei nº 6938/81 que estabelece a Política Nacional do Meio Ambiente, e mais especificamente na lei nº 9795/99 que institui a Política Nacional de Educação Ambiental.

Assim nossa reivindicação objetivamente, prende-se à criação de uma Coordenação Geral de Educação Ambiental que atue de forma articulada com o Departamento de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (DEA/MMA) para dar suporte às ações nos estados, esperando que a mesma promova a reorganização do setor, captação de recursos, e retomada das capacitações continuadas, possibilitando assim condições de trabalho e dignidade aos educadores do Ibama/ICMbio. Em síntese, um tratamento semelhante ao das outras áreas e instrumentos previstos na estrutura regimental do Instituto.

Nesse sentido, a prerrogativa legal e as demandas por ações educativas na área de meio ambiente requeridas continuamente pela sociedade nas unidades descentralizadas das autarquias, impõem urgência no fortalecimento desse segmento e um reforço estrutural da área de educação Ambiental no IBAMA.

Certos que a Exma. Ministra do Meio Ambiente, saberá avaliar nosso pleito na medida correta e justa, despedimo-nos.

SERVIDORES  DO IBAMA

SERVIDORES DO ICMBIO

SERVIDORES DO JARDIM BOTÂNICO

SERVIDORES DO SFB

SERVIDORES DA ANA

SERVIDORES DO MMA

e mais …..

Anúncios

68 responses to this post.

  1. Posted by Instituto GEOVIDA on março 1, 2011 at 6:09 pm

    Inteiramente solidário a importância da reinstitucionalização da CGEAM – Coordenação Geral de Educação Ambiental e da revitalização dos NEAs .

    Responder

    • Posted by Julio Carvalho/NEA/IBAMA-RO on março 11, 2011 at 2:58 pm

      Estamos Plenamente de acordo com reestrutraçâo EA/IBAMA. A EA na Regiâo Norte é “um bem necessário” para manter meio ambiente equilibrado e sustet´vel. Abraços…
      Julio Carvalho/NEA/IBAMA-RO

      Responder

  2. Posted by SEC-CORPRERI - União da Vitória-PR on março 1, 2011 at 6:11 pm

    Também somos inteiramente solidário a importância da reinstitucionalização da CGEAM – Coordenação Geral de Educação Ambiental e da revitalização dos NEAs .

    Responder

  3. Posted by Prof. Eugenio A Beluski / Secretaria de Estado da Educação-PR on março 1, 2011 at 6:24 pm

    A educação ambiental é um esforço permanente de reflexão sobre o destino do homem, de todos os homens, face a harmonia das condições naturais e o futuro do planeta “vivente”; por excelência. (Prof.AZIZ AB´SABER )

    A reinstitucionalização da CGEAM – Coordenação Geral de Educação Ambiental e a revitalização dos NEAs são sumamente importantes para todos nós alcançarmos os mais altos índices ambientais perante todas as NAÇÕES.

    Responder

    • Posted by Thais Salmito on março 5, 2011 at 1:25 am

      Prof. Eugênio. Tive o privilégio de ser aluna do professor AZIZ AB´SABER, em duas ocasiões. Como ser político, humanista,conhecedor da geografia social do país, ele traduz de forma clara, o pensamento socioambiental que vem ao encontro desse nosso pleito, que é o fortalecimanto da Educacão ambiental no Órgão executor da política nacional do meio ambiente no Brasil. Muito obrigado pela por sua participação. Thais SAlmito- NEA/iBAMA/RJ

      Responder

  4. A reinstitucionalização da Coordenação Geral de Educação Ambiental no IBAMA vai fortalecer, no âmbito do SISNAMA,os programas e projetos de Educação Ambiental nos Estados e municípios porque são lugares onde os NEA’s atuam direta ou indiretamente. É necessário que se reconheça essa importância dos NEA’s junto à Sociedade, como agente educacional na área ambiental e catalisador das idéias inovadoras tanto das academias como dos grupos sociais com os quais se trabalha. É bom refletir sobre isso.

    Responder

  5. Posted by Sarah Luiza on março 1, 2011 at 9:02 pm

    Precisamos pensar e construir uma educação ambiental transformadora, que contribua na transformação da realidade de exploração em vivemos.

    Responder

  6. Posted by Gigi Castro on março 1, 2011 at 9:41 pm

    Conheci de perto o trabalho do NEA no Ceará e o acho muito valioso. Numa época em que cada vez mais vemos a desestruturação dos ambientes, seja por ação da iniciativa pública ou privada, um trabalho com o caráter do NEA é fundamental.

    Responder

  7. Posted by Maria do Céu de Lima on março 2, 2011 at 12:44 am

    A experiência do trabalho com educação ambiental, realizada durante muitos anos, pela Equipe do NEA-IBAMA Ceará, é reveladora do papel estratégico que cumpriu o IBAMA. A retomada das ações/projetos, principalmente no que concerne e atende às populações que se encontram mais vulneráveis aos impactos e riscos socioambientais, a exmplo das comunidades pesqueiras,é uma tarefa urgente do IBAMA.

    Responder

  8. Posted by Alba E Ramos on março 2, 2011 at 12:53 pm

    Completamente solidária.

    Responder

  9. completamente solidários e dispostos a cooperar e construir uma vida melhor

    Responder

  10. Posted by Felipe Pinheiro on março 2, 2011 at 1:21 pm

    É de grande valor e cada vez mais importante a educação como agente transformador para um Brasil melhor.
    Felipe Pinheiro – JBRJ

    Responder

  11. A importância da Eduacação Ambiental como agente trasformador é indiscutível, assim como é indiscutível a importância do NEA do IBAMA no Ceará como peça chave nos processos de organização comunitária. Tenho, como representante do Projeto TAMAR no estado, acompanhando de perto esse trabalho nos ultimos 17 anos e assim posso dizer com propriedade: o trabalho do NEA é fundamental. Somos solidarios a causa.

    Responder

  12. Inteiramente solidária a importância da reinstitucionalização da CGEAM – Coordenação Geral de Educação Ambiental e da revitalização dos NEAs.

    Responder

  13. Posted by jose wilson uchoa do carmo on março 2, 2011 at 4:59 pm

    ACHO DE IMPORTANCIA FUDAMENTAL PARA O FORTALECILENTO DAS QUESTÕES AMBIENTAIS NO EIXO DAS POLITICAS PUBLICAS E SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO MODELO DE DESSENVOLVIMENTO SUSTENTADO

    Responder

  14. Posted by maria alice guedes marques on março 2, 2011 at 6:34 pm

    É imprescindivel a educação como instrumento trasformador para um mundo melhor.

    Responder

  15. Posted by Kurtis François Teixeira Bastos on março 2, 2011 at 7:17 pm

    O IBAMA detém um nível de excelência em Educação Ambiental que deve ser resgatado para as mais diversas atividades em que estamos presentes. Seu caráter humanista, holistico, democrático e participativo, se inserido na base de toda política publica, será dinamizador para as mudanças que desejamos.

    Responder

    • Posted by Carmelo Marino on março 15, 2011 at 1:30 pm

      Concordo plenamente e talvez aí esteja o problema: a educação ambiental do Ibama realmente despertava consciências e isso aos poderosos nunca interessa.

      Responder

  16. Posted by Sebastião Gomes Soares on março 2, 2011 at 7:30 pm

    Lamento a nossa EDUCAÇÃO AMBIENTAL está passando por um momento dificil de afirmação, diante das medidas de mudanças estruturais pioradas por que passam IBAMA e ICMbio/MMA, quem está afrente está sem noção.
    Educação Ambiental no IBAMA foi fundamental na Gestão Ambiental no País,
    agora vem meia dúzia de sem noção ofuscar e sumir com nossa EA.
    Estou sempre solidário.
    Contem comigo.
    Perdí minha identidade como servidor, se falo que sou do ICMbio ninguém
    acredita, pois todos me conhecem como servidor do IBAMA.
    Realmente passamos por um momento muito difícil.
    Abraço.
    Sebastião Gomes Soares
    Educação AmbientalPARNA/Ubajara – quase extinta

    Responder

  17. Posted by Maria Edna Medeiros on março 3, 2011 at 1:43 pm

    Sempre achei que a Educação Ambiental aqui no IBAMA está muito bem extruturada e deve ser preservado, principalmente pela sua importância de conscientizar toda população, pois, é imprescindível como instrumento para o desenvolvimento sustentável de um mundo melhor.
    Abraço.
    Maria Edna Medeiros
    Coordenadora da Auditoria/Ouvidoria/IBAMA

    Responder

  18. Posted by Joao Carlos Correa on março 3, 2011 at 4:22 pm

    A única saída para nosso país, em várias áreas que nos mantém aquém das nossas capacidades como nação, é através da educação. Esta afirmação é ainda mais verdadeira na área ambiental, onde a necessidade de “se educar” ultapassam as fronteiras regionais, sociais e as relacionadas ao nível de escolaridade. Não reconhecer isto é comenter um crime contra nosso futuro.

    Responder

  19. Posted by Camila Garcia on março 3, 2011 at 6:54 pm

    Se contarmos fora do país vai parecer piada esse retrocesso vivido pelo ministério do meio ambiente nos últimos anos.

    O atual cenário de abandono da educação ambiental é um desrespeito com os funcionários públicos que comprometidos com seu trabalho se vêem de mãos amarradas.

    É um desrespeito, maior ainda, com as populações que aprenderam a contar com o apoio do Ibama nos processos de gestão ambiental e agora voltam a pensá-lo com órgão burocrático e fiscalizador.

    Camila Garcia
    Assessora de Comunicação do Instituto Terramar

    Responder

  20. Posted by Silmara Erthal on março 3, 2011 at 6:57 pm

    Apoiando o fortalecimento da Educação Ambiental no âmbito dos órgãos executores da política ambiental brasileira.

    Responder

  21. Posted by Cláudio Roberto de Carvalho Ferreira on março 3, 2011 at 7:01 pm

    Eu assino e apoio com muito prazer.

    Responder

    • Posted by Douglas Dâmaso dos Santos on março 3, 2011 at 8:21 pm

      Apoio irrestritamente o pleito ora em questão. Pois reputo a educação ambiental como condição “sine qua non” enquanto instrumento que viabiliza todo um processo de discussão da causa da própria vida.

      Douglas Dâmaso dos Santos – Analista Ambiental do IBAMA no Ceará

      Responder

  22. Posted by Alberto Klefasz on março 3, 2011 at 8:50 pm

    A Educação Ambiental, além de ser uma prerrogativa legal e funcional do Ibama, representa uma possibilidade real de intervenção positiva na sociedade através da reflexão, discussão, construção e proposição de ações que possibilitam a inserção e a apropriação da questão ambiental na dinâmica social brasileira.
    Assino e apoio integralmente este manifesto!

    Responder

  23. Consideramos estratégico para o Brasil o fortalecimento dos mecanismos de gestão participativa possibilitados pela Educação Ambiental.
    Esta luta tem nosso total apoio.

    Responder

  24. Reconheço o papel estratégico que o Núcleo de Educação Ambiental- NEA/IBAMA desempenha junto às comunidades tradicionais e as organizações da sociedade civil da Zona Costeira do Ceará e do Brasil.

    Responder

  25. Posted by Gisela Pires do Rio on março 4, 2011 at 10:23 pm

    Pelo respeito a todos nós!

    Responder

  26. Apoio total!
    É extremamente necessário esse fortalecimento, pois desde a criação do Órgão, há mais de duas décadas que a Educação Ambiental vem abrindo trincheiras por acreditar que suas ações são importantes e fundamentais a toda sociedade brasileira e para o planeta em geral. É sabido também, que as conquistas do Ibama na sua maioria são realizadas através de lutas, união e boa vontade dos dirigentes, então não seria diferente agora, nessa reivindicação muito bem descrita na carta. Parabens aos idealizadores, esperamos sucesso em breve. Almira

    Responder

  27. Posted by Francisco João moreira Juvencio on março 8, 2011 at 12:53 pm

    O vazio deixado pela extinção da CGEAM -IBAMA é sentido e acumulado pela populações tradicionais e as afetadas por grandes empreendimentos.É um processo de acumulação de custos socioambientais, que já são irrecuperaveis. Mas, nunca é tardio rever equívocos de gestão. Restabelecer a educação ambiental é uma forma de recomeçar a superar esses equivocos.

    Responder

  28. Posted by rosa maria wekid castello branco on março 9, 2011 at 1:01 pm

    Assino e apoio integralmente esta carta:
    como bióloga e analista ambiental do Ibama desde 1982, Chefe do Escritório Regional do Ibama em Campos dos Goytacazes e, principalmente como Educadora Ambiental do Ibama, ativa junto ao NEA/RJ.
    Precisamos do CGEAM e dos NEAs oficiais e funcionais nos estados do Brasil.
    Sem o efetivo setor da Educação no IBAMA, quem exigirá ou coordenará o cumprimento da Lei da Educação Ambiental nos processos de licenciamento ambiental das atividades poluidoras? Este é o ponto fundamental para a continuidade de um desenvolvimento sustentável para as comunidades dos ecossistemas afetados.

    Responder

    • Posted by Thais Salmito on março 10, 2011 at 1:50 am

      Rosa. Você faz parte disso, atualmente como educadora e elo do NEA/RJ no escritório do Ibama em Campos, pode perfeitamnete avaliar a necessidade da reestruturação da coordenação geral para dar suporte aos núcleos de educação nos estados. Obrigado por juntar-se a nós. Abreços apertados. Thais Salmito

      Responder

  29. Posted by Ronnielle de Azevedo Lopes on março 9, 2011 at 11:27 pm

    A Educação Ambiental é essencial à instauração de uma Ética Ambiental que se pauta no Cuidado com o outro e com meio. Portanto, apoio e assino está iniciativa concreta rumo em favor do meio ambiente, da humanidade e das boas relações sócio-ambientais no Brasil.

    Ronnielle de Azevedo Lopes – professor de Filosofia

    Responder

  30. Posted by Marcos Affonso Ortiz Gomes on março 11, 2011 at 5:42 pm

    A continuidade institucional das políticas públicas é a grande chance para que o país realmente caminhe para a sustentabilidade. Devolver aos órgãos da área ambiental competências e meios criados outrora para uma educação ambiental estruturante são aspectos importantes dessa continuidade na área da gestão ambiental brasileira. Apoio a carta!
    Educador e consultor socioambiental.

    Responder

  31. Posted by Márcio Lucca on março 11, 2011 at 6:06 pm

    Assino a carta, na tentativa de corrigir “erro” histórico na gestão da administraçao Pública Federal.

    Márcio Lucca
    Analista Ambiental
    Responsável pela Base Avançada/IBAMA/Passo Fundo/RS

    Responder

  32. Posted by Sílvia Pompéia on março 11, 2011 at 10:27 pm

    Concordo totalmente com a necessidade de um órgão ou setor bem estruturado e com estrutura suficiente para: dar apoio às iniciativas de EA no Brasil; se responsabilizar por promover a discussão do tema, enquanto política pública, para que haja evolução e fortalecimento das políticas relativas à Educação Ambiental entendida como instrumento de tomadas de decisão; e promover a Formação Ambiental de profissionais em geral, como instrumento de inclusão da componente socioambiental nas diferentes atividades desenvolvidas pelos 1o, 2o e 3o setores.

    Responder

  33. Posted by Ana Luísa Lincka on março 12, 2011 at 12:03 am

    Eu apoio. Eu assino.

    Ana Luísa Lincka
    Estudante de Biblioteconomia
    UFRN

    Responder

  34. Posted by Sara Lincka on março 12, 2011 at 12:05 am

    Eu apoio e assino.

    Sara Lincka
    Concluinte Ensino Médio
    Natal/RN

    Responder

  35. Posted by José Airton de Vasconcelos on março 12, 2011 at 10:56 pm

    Coordeno o Núcleo de Recursos Pesqueiros da SUPES/RN e concordo plenamente na reativação dos Núcleo de Educação Ambiental em cada Superintendência visto que é de suma importância a sua atuação junto as comunidades pesqueiras no sentido de sensibilizá-las quanto ao ordenamento das pescarias mais importantes do estado, tais como, lagosta, caranguejo-uçá, espécies que realizam piracema, dentre outras, com vistas a modificação a situação caótica que se encontra esses recursos.

    Responder

  36. […] Carta Aberta ao MMA […]

    Responder

  37. Posted by Evanilde on março 13, 2011 at 12:38 pm

    Vamos educar e conscientizar nossos filhos para que tenham uma melhor qualidade de vida.

    Responder

  38. Posted by Luciana Santos on março 13, 2011 at 9:41 pm

    Apoio esta proposta porque precisamos cada vez mais seguir em frente com as iniciativas relevantes para nossa educação. Esta, especialmente,significa fortalecimento social consciente diante do complexo modelo de desenvolvimentismo que estamos vivendo, além de ser um exercício verdadeiro de consolidar as ações públicas como políticas de Estado em prol das causas do povo brasileiro.

    Luciana Santos – Estudante de Biologia, membro do Movimento Popular de Saúde e do GT Ambiental do Maranhão

    Responder

  39. Posted by na Rosa Marques on março 13, 2011 at 10:47 pm

    em meio a tantos desafios da sociedade necessitamos o quanto mais de educadores, estejam aonde estiver, e no IBAMA mais ainda, precisamos da CEGEAM , dos programas e das pessoas para um meio ambiente melhor

    Responder

    • Posted by Thais Salmito on março 13, 2011 at 11:46 pm

      Rosa. Você disse com a maior simplicidade o que queremos com esse movimento de restaurar a educação ambiental no Ibama…um meio ambiente melhor!!!A constituição federal diz que é obrigação do poder público proporcinar isso à população brasileira, que por sua vez tem direito ao meio ambiente equilibrado e justo, além do dever de preserva-lo para as gerações futuras. No nosso caso faz parte da nossa obrigação como servidores públicos. Precisamos dos meios servir à sociedade como ela merece, daí nossa luta. Obrigado por apoiar nossa causa. Abraços. Thais SAlmito-Ibama/NEA/RJ

      Responder

  40. Posted by Giovani Salmito on março 14, 2011 at 12:46 am

    Aprovo e apoio as decisões que visem proteger e preservar o meio ambiental brasileiro para a atual geração e futuras. Boa sorte aos educadores ambientais do Ibama no seu pleito junta à ministra do meio ambiente. Giovani Salmito- cardiologista no Rio de Janeiro

    Responder

  41. A CGEAM cumpriu um importante papel de capacitação dos atores sociais para o enfrentamento das questões ligadas ao Licenciamento Ambiental e de preservação do território. A Participação Popular nos processos tem garantido uma melhor fiscalização e gestão ambiental da obras, que acontecem em todas as regiões do País. Não existe coerência em Licenciamento Ambiental sem os Programas de Educação Ambiental e seus desdobramentos. O acompanhamento das ações garante o exercício pleno da participação popular e da implementação das ações apresentadas nos PBAs e EIAs/RIMAs apresentadas ao Orgão Licenciador (IBAMA)

    Responder

    • Posted by Thais Salmito on março 14, 2011 at 7:58 pm

      Flávio, mais clareza é impossível. Você teve a capacitação adequada em Educação na Gestão Ambiental, que te permitiu agregar valor à sua militância ambiental e política. A educação ocupando o espaço do licenciamento, é de fundamental importancia para o emponderamento das populações afetadas pelos empreendimentos, viabilizando sua participação de forma mais qualificada. E isso faz a maior diferença. Obrigado pela adesão e um abraço apertado. Thais Salmito-IBAMA/NEA/RJ

      Responder

  42. Posted by Ulisses Mantovani on março 14, 2011 at 1:51 pm

    Apoio a iniciativa e assino a carta.

    Ulisses Mantovani, Analista de Meio Ambiente e Recursos Hídricos
    IEMA.

    Responder

  43. Posted by Mauro Vieira Baldini on março 14, 2011 at 6:00 pm

    Apoio e assino.
    Tenho sofrido na pele, na mente e na alma essa falta.
    Faço muitas atividades de EA no MT, mas sinto a falta de uma referência…. de referências… colegas… to remando…
    mas pra onde?
    Foi muito injusto tudo que aconteceu.
    Aguardo confiante e agradecido.
    Parabéns aos colegas que tiveram essa iniciativa.
    Mauro Vieira Baldini – AA/NEA/SUPES/MT

    Responder

  44. Posted by Vanessa de Almeida e castro on março 15, 2011 at 12:57 am

    Eu apoio e assino.

    Vanessa de Almeida e Castro
    Designer
    Teresopolis/RJ

    Responder

  45. Posted by fatima de lourdes casarin on março 15, 2011 at 1:41 am

    Confirmo meu apoio a esta iniciativa e assino a carta com desejo que obtenha sucesso o mais rapido possível.

    fatima de lourdes casarin
    Assessoria de Apoio a Gestão das Águas / SEA -RJ
    Coordenadora do Programa Agenda Água na Escola – Educação Ambiental para Gestão Participativa das Águas.

    Responder

  46. Posted by ana camila oliveira de moraes on março 15, 2011 at 3:59 am

    aprovo e assino.

    Responder

  47. Posted by Natalina da Rocha Vieira on março 15, 2011 at 4:14 pm

    Coordeno o Nucleo de Educação Ambiental da SUPES/MS, o NEA continua com sua estrutura mantida desenvolvendo algumas ações educativas.Concordo e apoio total a esta carta.É necessário a criação de uma Coordenação Geral de Educação Ambiental para dar suporte aos Núcleos de Educação nos estados.

    Responder

  48. Posted by Andréa Carestiato on março 15, 2011 at 5:41 pm

    Como cidadã, como participante das lutas da EA, como brasileira, aprovo e assino este documento.

    Andréa Carestiato

    Responder

  49. Posted by SAMANTA CRISTINA CHIQUETTI on março 15, 2011 at 8:59 pm

    Eu apoio e assino.

    Samanta Cristina Chiquetti
    Doutoranda UFRN

    Responder

  50. Posted by Penny on março 16, 2011 at 2:48 am

    manifesto meu apoio à equipe de educadores ambientais do Ibama.
    É preciso ousar um novo Brasil.
    Por uma nova era de Educ-AÇÃO Ambiental.
    Penny

    Responder

  51. Posted by Sergio Martinez on março 17, 2011 at 8:07 pm

    Apoio total,uma das ferramenta inportante que foi esquecida nas instituições ambientais.

    Responder

  52. Posted by Francisco ivo Barbosa on março 17, 2011 at 8:30 pm

    APOIO E ASSINO A CARTA

    FRANCISCO IVO BARBOSA
    ANALISTA AMBIENTAL
    CGFAP/DBFLO/IBAMA

    Responder

  53. Sim. Assino a carta.
    Manoel Carlos Pinheiro – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

    Responder

  54. Eu assino e apoio!
    Ana Luiza Lima Barbosa
    Assessor
    MDS

    Responder

  55. Posted by Rogéria Rodrigues on março 24, 2011 at 8:10 pm

    Apoio e assino a carta,
    Rogéria Rodrigues
    Assessora – Programa de Desenvolvimento Solidário / Instituto Terramar

    Responder

  56. Posted by Archimedes Lima-Neto on março 25, 2011 at 9:43 pm

    O Instituto Pró-Ambiência de Mato Grosso vem apoiar integralmente a iniciativa dos servidores federais e cobrar a implantação do compromisso político asssumido em recente eleição… Mesmo sabendo que o perfil de nossos governantes não são pelo processo educativo e sim pelo desenvolvimentismo a qualquer custo… que isso possa mudar! Que os preceitos ecológicos assumam sua cara no MMA e IBAMA (que não adianta mudar só de nome, tem que evoluir os próprios conceitos de inserção sócio-ambiental)…
    saudaçõaes ambientalistas
    Prof. Ms. Archimedes Lima-Neto.

    Responder

  57. Posted by isabel carvalho on março 26, 2011 at 11:14 pm

    ASSINO E APOIO

    Responder

  58. Posted by Aída Campos on abril 8, 2011 at 3:21 am

    Solidária e preocupada com a descontinuidade de muitos trabalhos na
    minha cidade, educadora ambiental PBH-MG.

    Responder

  59. Posted by Amaziles on abril 8, 2011 at 4:57 pm

    Eu apoio!

    Responder

  60. Posted by Carlos Adalberto Celedônio Celedônio on abril 10, 2011 at 3:27 pm

    Estou totalmente de acordo. É importante que as novas presentes e futuras gerações tenham instrumentos que as sensibilizem e as tornem agentes históricos do seu tempo, permeando com novas ações e atitudes o reconhecimentos que fazemos parte da Natureza e não donos.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: